Reunião do dia 29/02/2020- "Você tem seguido Jesus sendo multidão ou discípulo?" - JSC (Jovens Seguidores de Cristo)

nuvens sol

Hoje às 17h, com o santo Terço temos a equipe de Eventos! Aêee!

 

Sábado, 29 de Fevereiro de 2020

VEM E SEGUE-ME

“Eles levaram o barco para a margem, deixaram tudo e o seguiram.” Lc 5, 11

 Seguir a Jesus Cristo é um anseio de nossa alma. Em primeiro lugar porque o Criador com amor infinito nos criou e com amor infinito nos feriu de tal modo que na Jornada de nossas histórias, a saudade e a ausência do Eterno só pudesse ser saciada pelo próprio Deus. Assim Jesus nos olha, com compaixão como destaca o evangelista São Marcos na multiplicação dos pães.

“Ao desembarcar, Jesus viu uma numerosa multidão e teve compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor” Mc 9, 36

 Jesus olhou o povo devagar pois sabia da sede e da fome não só de pão mas de Eternidade, uma sede insaciável pelo Eterno, e Ele era quem lhes daria de comer e de beber, o alimento que o Senhor lhes desse não findaria. Mas da parte do povo, quantos o conheciam? Quantos acreditavam que Ele era o Messias, o próprio Deus? Quantos daqueles, que se fartavam de pão, creram mas, quando voltaram a fome e as misérias deixaram de crer?

 Para crer é preciso conhecer o Cristo, e esse foi o tema de nossa reunião: JESUS CRISTO.

 O plano de fundo há 2000 anos era delicado: a situação política oprimia o povo de Deus que vivia refém do governo de Roma, os sacerdotes e escribas da Lei Mosaica viviam de aparências e rigorosidades vazias, criou-se um contexto político religioso no qual, a luta dos fariseus e outros partidos Mosaicos era o reerguimento de sua religião pela soberania social e política. Para o povo de Deus, o Messias esperado era o libertador prometido pelos profetas para trazer a restauração de Jerusalém e destruir o Império que os cerceava.

 Nosso Senhor Jesus Cristo, no entanto, possuidor de todo poder do Universo, o Pantokrator, Criador de todas as coisas, quis descer então aos homens da maneira mais humilde, mais simples e pobre, desejando se encarnar no seio da Santíssima Mulher, desejou ter uma família humana, desejou nascer como criança, submetendo-se pacientemente à Lei Mosaica para então transformar a Lei dando-lhe pleno cumprimento.

 Que grandeza de graça e que maravilha de Poder que, em toda Glória não se satisfez sem o homem, sua criatura amada: Deus o queria ao seu lado!

 E nesse contexto da história, Nosso Senhor Jesus Cristo, o Verbo Eterno veio a nós, trazendo queda e soerguimento para muitos corações! Aqueles que esperavam a libertação política, não creram, os que esperavam um grande articulador e revolucionário, igualmente não puderam crer. No entanto aqueles que se encontravam à margem da sociedade, os simples e pequeninos, estes sim creram, pois o Pai resiste aos soberbos.

 “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos.” Mt 11, 25 

 Há dois milênios atrás o Senhor veio para dividir a história da humanidade, mas também dividir povos pois Ele não veio trazer paz à terra mas a espada. A vida do senhor trouxe a divisão entre aqueles que se decidem por Jesus Cristo e aqueles que não se decidem por Cristo. Assim o fizeram condenando e crucificando o Senhor. Não sabiam estes senhores que o sacrifício que Jesus aceitou sem resistência seria a verdadeira libertação, a libertação que Deus havia prometido pelos profetas, a saciedade da sede de nossas almas, a restauração da humanidade com Deus, a eterna Aliança.

 Os tempos passaram, e a história infelizmente se repete pela dureza do coração do homem. Hoje vivemos com muito mais informação e conhecimento que muitos homens e mulheres Cristãos da antiguidade e o que fazemos com tudo isso? Optamos ainda por viver como pagãos ou como aqueles que crucificaram Jesus. Para se ter uma noção de nossa dureza de coração é como se preferíssemos usar o carro como na série animada dos Flinstones, mesmo com toda tecnologia de combustíveis e avanços na engenharia. É boçal e ilógico, mas a humanidade caminha cada vez mais para o afastamento de Nosso Senhor Jesus Cristo sem saber que é o Único capaz de nos dar a verdadeira vida.

“...deixaram tudo e o seguiram”

 Mesmo sabendo de todas essas coisas que aconteceriam no futuro, Nosso Senhor Jesus Cristo, ainda assim nos olhou devagar, com compaixão, paciência e desde o início nos chamou: vem e segue-me (Mt 19, 21).

 Hoje, Ressuscitado, Ele continua a nos chamar irmãos, com uma doce e segura voz no meio dos tormentos, inseguranças e agitações deste vale de lágrimas. Temos a opção, como teve o povo judeu, de livremente deixar tudo e seguir ou nos juntar à multidão dos zombadores...

 Na reunião deste sábado, pudemos tomar uma decisão de seguir essa Voz que nos chama e nos conquista e aceitar as consequências de dizer que somos SEGUIDORES DE CRISTO. A você que lê este artigo deixe-se seduzir pelo Cristo neste dia, tome sua cruz, e caminhe ao nosso lado pois, “quem tudo dá a Cristo, não perde nada, ganha Tudo” (Papa Bento XVI).

 Por fim, confiemos na graça e na Misericórdia do Senhor, pois se Ele chama, Ele nos assegurará em nosso Caminho.

Shalom!

Palestrantes: Rafael Freitas e Yasmin Freitas

____________________________________________________________________________

Artigo feito por: Samuelson Mesquita

 

Leia outros artigos